sexta-feira, janeiro 28, 2005

Holocausto de Auschwitz

Comemorou-se, ontem, o 60º aniversário da libertação dos prisioneiros do campo de concentração de Auschwitz, no sudeste da Polónia, por parte das tropas do exército soviético.
Inicialmente este campo de concentração visava “ aterrorizar os polacos “, mas transformou-se rapidamente numa “ fábrica de morte “.
Aí foram exterminadas mais de 1.500.000 pessoas, na grande maioria judeus.
Oxalá fosse possível afirmar: “ Auschwitz – Nunca Mais “
Infelizmente, volvidos 60 anos, temos que reconhecer que outros holocaustos surgiram em muitas partes do Mundo, onde os Direitos Fundamentais do Homem foram vilipendiados.
Não podemos esquecer o genocídio no Ruanda, o morticínio de Darfur, as vítimas do Gulag, os prisioneiros de Guantánamo e de Abu Gharib, os crimes sobre opositores aos regimes políticos no Chile e na Argentina, o drama dos Palestinianos, as vitimas das guerras na Chechénia, Afeganistão e Iraque, o esmagamento do povo tibetano etc., etc.
Triste Mundo este que desenvolve a cultura da intolerância, da violência, do ódio e da opressão dos mais desfavorecidos.