domingo, fevereiro 27, 2005

Defesa anti-missil

Até ao início de Fevereiro, os EUA tinham tido uma série de reveses nos 4 ensaios que realizaram no Pacifico com o sistema de intercepção anti-missil, pois essa arma de defesa não conseguiu sair do chão.
Finalmente esta semana, o 5º lançamento feito do navio USS Erie, ao largo do Hawai, foi coroado de êxito.
Até ao início deste mês, os EUA tinham dispendido 130 mil milhões de dólares neste projecto, o que estava a causar embaraços quer na Casa Branca, quer no Pentágono.
Se compararmos o dispêndio de dinheiro nesta operação com 2 realidades portuguesas, verificamos que:
- As grandes despesas do Estado previstas no Orçamento Geral do Estado para 2005 com – vencimentos de funcionários, S.N.Saúde, segurança social, C.G.Aposentações, Autarquias Locais, Ensino, juros da Divida Pública, contribuições para a EU, despesas com ADSE, educação pré-escolar, Regiões Autónomas e bonificação de juros, atingem o valor de 38 mil milhões de euros
- O PIB português é de 140 mil milhões de euros.

Fazendo a conversão de euros em dólares constatamos que a verba gasta neste projecto de defesa cobriria as grandes despesas do Estado português durante 2,5 anos e representa 77% do PIB nacional.
O “ inteligente “ Presidente George W. Bush tinha prometido que o escudo anti-misseis estaria operacional em 2004. Neste momento estão instalados dispositivos de intercepção no Alasca (6) e Califórnia (2). O Pentágono prevê ter 32 destes dispositivos interceptadores, até 2007.

Com todo este dinheiro quanta miséria seria eliminada ou, pelo menos, atenuada no Mundo?

O terrorismo pode nascer de idealismos extremados, mas a sua base de apoio e os seus executantes no terreno são, normalmente, os ostracizados da sociedade.

Até quando esta distorção de valores?

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

gosto sempre muito das conclusões dos seus artigos.
abraço

5:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home