terça-feira, março 22, 2005

PORTAGENS NAS SCUTS

Sempre que vou de Arouca para a cidade do Porto utilizo a A1, a partir de Santa Maria da Feira e pago 1,15 euros por cada viagem.
Acontece que, hoje, na deslocação que fiz ao Porto não utilizei a A1, dado que há um troço de 10 Kms em obras, para construir mais 2 faixas de rodagem.
Por isso, para evitar eventuais atrasos, em Santa Maria da Feira, utilizei a A29, construída pela Lusoscut e não paguei qualquer portagem.
Durante o percurso pensei no benefício que estava a usufruir e reflecti sobre algumas opiniões que têm sido emitidas sobre a problemática da existência ou não de portagens nas Scuts.
Eis a reflexão que faço sobre este problema:
- As Scuts quando foram construídas visaram dar maior competitividade às empresas situadas nas proximidades desses itinerários, para além de dar melhor segurança e bem-estar aos cidadãos beneficiados por estas infra-estruturas.
- Dada a escassez de recursos financeiros, o Governo encontrou um esquema de construção/financiamento que permitiu ter hoje melhores estradas, em vez de as termos daqui a 20 anos.
- Acontece, porém, que os encargos financeiros com estas Scuts custam, em 2005, mais de 500 milhões de euros ao Orçamento Geral do Estado e em 2008 serão cerca de 750 milhões de euros. Os encargos vão, a seguir decrescendo até ao fim da duração da duração do contrato que, creio que se prolonga até 2030.
- O actual Governo garante que vai manter estas Scuts sem portagens. É louvável que o Governo queira cumprir o que prometeu em campanha.

A pergunta que faço a mim próprio é esta – alguém tem que pagar.

- Na última semana o Sr. Governador do Banco de Portugal sugeriu que deveria ser o sector rodoviário a pagar o custo das infra-estruturas que utiliza
- Quer isto dizer aumentar, nomeadamente o IA (imposto automóvel) e o ISP (imposto sobre combustíveis).
- Acontece que o IA cobrado em Portugal representa 58% do preço dos veículos, enquanto que, por exemplo em Espanha, representa apenas 27%.
- Poderemos ter, portanto centenas de milhares de portugueses (no interior do País, nos Açores e na Madeira) que vão pagar mais impostos (que vão ser canalizados para pagar os custos das Scuts), sem que nunca utilizem essas infra-estruturas durante as suas vidas.
- Trata-se, portanto, duma medida duplamente injusta.
- Acontece, também, que as Scuts são utilizadas por transportadores internacionais que beneficiam dessas infra-estruturas, sem pagar qualquer encargo.
- Quem utiliza as Scuts deve pagar o custo da construção destas infra-estruturas pois, mesmo pagando portagens, há economia no combustível gasto, bem como na manutenção das viaturas já que estas não estão sujeitas a tanto desgaste, para além da redução no tempo das deslocações.

De Arouca ao Porto são 60 Kms. Eu não me importo de pagar portagens nas auto-estradas ou na Scuts, pois, faço o percurso em 30 minutos em vez de 60 minutos, gasto menos combustível, tenho menos desgaste de pneus etc. etc.

Construam uma Scut junto à minha residência PORRA !

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Assinem o abaixo assinado:

http://www.naoasportagensnasscuts.com/

7:23 da tarde  
Anonymous ANTI-PORTAGENS.MAIA.IC24.A28 said...

Caros Amigos

Nós Municipes da Maia estamos contra as Portagens sem sombra de dúvidas, pois andamos a pagar até 1995 o IC.24 hoje A.42 um Imposto que a Autarquia cobrava através da Contribuição Autárquica…e mais não dizemos!

Mas o que nos trás aqui e na impossibilidade de conseguir enviar um e-mail à Comissão de Utentes, é no sentido de eventualmente conhecer alguém ligado a este Movimento, informá-los de que se deveria envolver não só os Munícipes de cada Concelho, mas também as Entidades de Socorro e Salvamento, bem como as Empresas de Ambulâncias privadas.

SERÁ QUE ALGUÉM JÁ SE LEMBROU DE OS CONVOCAR TAMBÉM ????

Isto porque, estas Instituições irão também ser afectadas, pois só os veículos de Socorro estão Isentos de pagamento (em marcha de Urgência), mas as viaturas de Transportes de Doentes irão pagar como os outros, o que irá acarretar despesas extras para estas Instituições já de si debilitadas financeiramente.

Assim, agradecemos que façam chegar esta missiva a quem de direito e que os convoquem para esta Marcha.

Vejam o exemplo do fecho dos Centros de Saúde em que se viu nas Televisões a participação dos Bombeiros, CVP e empresas de Ambulâncias privadas.

A mobilização deve ser geral, ok??????????

Cumprimentos e dia 24 (Sábado) lá estaremos na Marcha Contra as Portagens, ver o Link http://www.naoasportagensnasscuts.com/index.php com os locais de Saída e Horários.

5:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home