quinta-feira, março 17, 2005

PREÇO DO PETRÓLEO

O preço do petróleo atingiu, hoje, os 55 dólares/barril em Londres e 57 dólares/barril em Nova Iorque.
Antes dos EUA terem invadido o Iraque, tive oportunidade de ler uma reportagem sobre os custos de extracção do petróleo nas diversas jazidas mundiais.
As características geológicas dos locais de extracção e os encargos com a colocação do crude nos terminais portuários influenciam o preço final.
Através dessa reportagem fiquei a saber que a extracção de petróleo nos Países do Médio Oriente custa em média 4 dólares/barril, em Angola e na Venezuela 8 dólares/barril, no Mar do Norte 13 dólares/barril e nos EUA 15 dólares/barril.
Tenho pensado nestes valores e dou-me, de vez em quando, a fazer as seguintes conjecturas:
-George W. Bush e os seus colaboradores mais directos estão directamente ligados ao sector dos petróleos
-os preços do crude oscilam conforme a instabilidade do mercado e de acordo com os picos de consumo
-a China (que será o futuro gigante económico no Mundo) tem aumentado duma forma exponencial o consumo de petróleo, para continuar a ter uma economia a crescer a 10%/ano
-a invasão do Iraque conduziu à instabilidade quantitativa dos fornecimentos e à destruição de muitos pipelines.

Por isso concluo que George W. Bush e os seus amigos ligados à indústria do petróleo, com os preços inflacionados como estão, conseguem materializar 2 objectivos essenciais para as suas estratégias:
- Criam dificuldades à China para que ela consiga impor-se como super-potência, dados os custos energéticos que vão ser repercutidos na sua indústria transformadora
- Quando o barril de petróleo estava cotado a 25 dólares/barril, os exploradores de petróleo nos EUA tinham uma margem de lucro de 60%. Agora com os preços inflacionados como estão ficam com a módica margem de lucro de 260%.

Será que eu tenho visões?

Depois digam que “ Ele “ é burro. UMA OVA!

NOTICIA DE ÚLTIMA HORA

A Administração Bush conseguiu que, ontem, o Senado americano aprovasse a exploração petrolífera no Alasca (paraíso ecológico com uma área equivalente a 600.000 campos de futebol vai desaparecer em breve, desde que o Congresso americano também vote favoravelmente a posição aprovada pelo Senado).
É FARTAR, VILANAGEM!

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A única forma de não dependermos tanto do exterior é apostar em força nas energias alternativas.
A nossa economia e qualidade de vida ficam refém do petróleo
Nina

11:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home