segunda-feira, abril 25, 2005

ENSINO DA MATEMÁTICA

A Sociedade Portuguesa de Matemática instituiu, há anos, um prémio bianual para premiar os melhores manuais de matemática do ensino secundário.

Este ano não foi atribuído o galardão, dado que nenhum manual apresentado a concurso reunia a qualidade científica e pedagógica merecedoras de realce positivo.

O mais grave disto é que, já em 2000, tinha acontecido o mesmo.

Como é possível aceitar uma coisa destas, sem barafustar?

Se os manuais não revelam qualidade científica e pedagógica, como é possível desenvolver nos alunos o gosto pela Matemática?

Como é possível ter um ensino de qualidade e de excelência se nem os manuais merecem nota positiva?

Depois admiramo-nos que no ranking internacional sobre “ literacia matemática “, numa lista de 40 Países do Mundo desenvolvido, os alunos portugueses ocupem o 30º lugar. Nesse ranking Hong Kong, Finlândia, Coreia do Sul e Japão ocupam os primeiros lugares.

Sem Matemática não há cultura científica e sem esta não há desenvolvimento económico.

Mas tudo é Matemática na nossa vida quotidiana, mesmo nas coisas mais simples – ler gráficos, interpretar tabelas, calcular percentagens, fazer escalas, ter noções de probabilidades, compreender a geometria básica, calcular juros etc.

É urgente acabar com a ideia errada de que a Matemática é um bicho papão.