segunda-feira, maio 09, 2005

II GUERRA MUNDIAL

Fez este fim-de-semana 60 anos que terminou a II Guerra Mundial. Neste desastre civilizacional morreram 25 milhões de soldados, 25 milhões de civis e 6 milhões de judeus nos campos de concentração nazis.

A rendição incondicional das tropas alemães de Adolf Hitler foi assinada pelo Marechal Keitel, no dia 8 de Maio de 1945.

Tinha eu 7 anos na altura.

Da II Guerra Mundial recordo que havia senhas de racionamento para os bens de primeira necessidade (açúcar, arroz, massa etc.). Cada família, em função das pessoas que constituíam o agregado, recebia, mensalmente, senhas com que podia fazer compras nas lojas tradicionais. Algumas famílias negociavam essas senhas.

Lembro-me que o meu Pai, como a quantidade de açúcar que nos calhava, era pequena, começou a criar abelhas para podermos ter mel para consumo próprio. Recordo-me que o meu Pai produzia mel suficiente para as necessidades de toda a família.

Muitas vezes comi colheres inteiras de mel. E que bem me sabia!

Os adultos usavam também o mel para fazerem as chamadas “ sopas de cavalo cansado “. Numa tigela punha-se pão, vinho tinto e mel. Com essa “receita milagrosa”ganhava-se forças para os trabalhos árduos dos campos.

Nessa altura da guerra, os lavradores só podiam ficar com uma parte do milho que produziam, já que o excedente era armazenado em silos do Estado, para suprir necessidades de consumo. O meu Pai cavou um falso na parede da adega, onde guardava algum milho para que não nos faltasse pão. A tapar esse falso colocava as pipas de vinho.

Lembro-me também das camionetas que eram movidas a gás pobre. As camionetas tinham uns depósitos laterais, onde era queimado carvão, que fazia movimentar as camionetas.

Recordo-me também da loucura que se vivia, aqui em Arouca, com a exploração do volfrâmio feito pelos ingleses e pelos alemães.

Sobre este assunto falarei amanhã.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Estou à procura de documentos e testemunhos da época do racionamento e este post é um com contributo. O meu obrigado.

Pedro

11:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home