sábado, julho 23, 2005

FOGOS FLORESTAIS

Mais uma vez, o País está a ser consumido pelos fogos florestais. Quase 3.000 bombeiros voluntários estão envolvidos neste combate quase inglório. São heróis anónimos que prescindem, muitas vezes, das férias e do legítimo descanso para acudir a pessoas e bens em perigo. Acontece, porém, que o fogo está a ganhar o combate.

Porque é que nos acontece todos os anos este flagelo?

Porque é que não aprendemos, ano após ano, a fazer melhor e a tomar medidas adequadas de prevenção, no período de Outubro a Maio?

Para que servem os “LIVROS BRANCOS” elaborados ao fim de cada Verão?

Com temperaturas acima de 35ºC haverá sempre fogos florestais por mais cuidados que se tenham., sobretudo se surgirem ventos com velocidades elevadas.

O combate aos fogos florestais é o último recurso…o que é eficaz é a prevenção.

Como fazer prevenção?
- ter as matas limpas de carga combustível acumulada no solo. Um incêndio rasteiro cruza a floresta e não a mata. Só quando passa à copa das árvores é que é a devastação A excessiva divisão da propriedade dificulta a limpeza das matas, pelo que é necessário actuar por meio de incentivos ou, no caso de não resultarem, agir por meios coercivos,
- detectar prematuramente os fogos, tendo postos de vigia estrategicamente colocados a funcionar 24horas/dia e com o apoio de patrulhamento aéreo,
-reduzir as arborizações com espécies amigas do fogo (eucalipto e pinheiro). O pinheiro, devido à resina, arde como um fósforo com 20 centímetros de diâmetro,
- instalar pontos de água estrategicamente colocados e com capacidade suficiente para abastecer os meios terrestres e aéreos,
- apostar em arborizações adequadas ao nosso meio carvalhos, sobreiros.

Último apontamento

Portugal continua a apostar em alugar meios aéreos para combater fogos (há empresas criadas especificamente para este nicho de mercado). Quase todos os Países da Europa mediterrânica têm frota própria para combate a incêndios (só alugam como complemento).

Portugal só tem 2 heli do S.N.B e Protecção Civil.

A Grécia apostou no heli americano Ericson Aircrane S-64 (capacidade 10.000 litros) que é considerado a melhor máquina aérea de combate a incêndios. (Eu não represento os interesses dessa companhia, convém referir).

Portugal tem que ter frota própria para combater fogos florestais, adquirindo esses meios pouco a pouco, dadas as restrições orçamentais. Os meios aéreos a adquirir devem ser estudados em função da complementaridade funcional que apresentem – combater fogos no Verão e socorrer náufragos e vigiar a costa atlântica nos restantes meses.

Os fogos florestais, em Portugal, devem deixar de ser fixados no calendário dos bombeiros, para se iniciarem no dia 1 de Junho de cada ano.

É preciso tomar medidas correctas para evitar esta fatalidade. Precisamos da nossa floresta para equilíbrio da Natureza.

1 Comments:

Blogger rajodoas said...

Caro amigo, tenha a certeza que mesmo que as matas e florestas tivesse limpinhas num rigor que impressionasse os incêndios registar-se-iam ao mesmo ritmo que têm acontecido até agora e
com o mesmo resultado de devastação
disso não tenho sequer a mínima dúvida. Existem demasiados interesses envolvidos e enquanto os mesmo não forem combatidos o resultado será continuamente este até deixarmos de possuir floresta o que já não falta muito.

6:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home