quarta-feira, julho 06, 2005

ÉPOCA FUTEBOLISTICA


Começaram ontem, na grande generalidade, os trabalhos de preparação das equipas integradas na Superliga.

Oxalá que o campeonato, este ano, decorra com mais normalidade.

As principais equipas fizeram adaptações com novos treinadores, foram feitos reajustamentos nos planteis, venderam-se ou dispensaram-se jogadores.

Para os jogadores que partiram para outras equipas, que sejam muito felizes.

Para as novas contratações, oxalá que elas correspondam aos balúrdios pagos. Muitos jogadores são considerados como autênticos craques e depois são meros desastres. Fazem muitas aquisições de gatos por lebres.

Permanece ainda em dúvida o problema das arbitragens - por nomeação ou por sorteio.

Embora a nomeação, se for feita com critérios rigorosos, pode ter vantagens, eu continuo a ser adepto do sorteio.

Dizem alguns árbitros que o sorteio não premeia o mérito, pois para jogos difíceis podem ser sorteados árbitros menos experientes, comprometendo-se assim a verdade desportiva.

Creio que todos os árbitros desejam fazer o melhor e daí que, árbitros com menor experiência, podem desunhar-se em jogos decisivos, para que a sua classificação suba.

No final da época também vai haver um reajustamento do nº de equipas participantes (16 equipas apenas) para dar mais competitividade ao campeonato.

As equipas portuguesas devem apostar tudo o que puderem na formação de novos atletas, descobrindo novos talentos.

Só assim é que os clubes poderão sair da falência financeira em que se encontram.Dizem as noticias que os passivos das 3 principais equipas nacionais são impresionantes - Benfica 375 milhões de euros, Sporting 250 milhões de euros e F.C.Porto 90 milhões de euros.

As equipas vivem acima das suas possibilidades e se nada for feito caminham para o suicídio.