segunda-feira, agosto 29, 2005

FÉRIAS


Até 15 de Setembro, andarei por aqui.

quinta-feira, agosto 25, 2005

DESSALINIZAÇÃO DA ÁGUA DO MAR

. O JN na sua edição de 2ªfeira, dia 22 de Agosto, apresentava a seguinte notícia “ Dessalinização não é solução para Portugal”.

O actual Ministro do Ambiente e o Presidente da holding “Águas de Portugal” afirmaram que o processo “está absolutamente fora de questão, pois a dessalinização é sempre uma solução cara e que só deve ser usada em situações de carência”.

Quanto ao custo, concordo parcialmente. No entanto pergunto – por quanto fica o abastecimento de água a dezenas de milhares de portugueses, que estão a receber água através de cisternas dos bombeiros?

Portugal está a atravessar um período de seca prolongada e é natural que esta se prolongue. Mesmo que no próximo Inverno ocorram chuvas estas, devido à falta de coberto vegetal numa parte substancial do território nacional, não vão irrigar os níveis freáticos, mas sim provocar a poluição dos terrenos, dos rios e ribeiros, devido ao arrasto das cinzas dos incêndios.

Portugal só tem registos meteorológicos a sério a partir de 1941, embora haja registos parciais com alguma veracidade, no século anterior.

No entanto, Portugal ao longo da sua história teve secas que trouxeram fome e miséria ao País. Segundo relatos escritos da época ocorreram períodos de seca em 1122, 1522, 1613, 1630, 1650, 1683, 1727, 1752, 1874 e 1876.

Dadas as condições climatéricas, tudo leva a crer que os períodos de seca vão ocorrer mais vezes e com menor intervalo.

Os latifúndios do Alentejo existem, devido à falência de pequenos proprietários, tornados assalariados, por não terem tido capacidade para saldar compromissos financeiros, devido a anos agrícolas desastrosos.

No Norte as catástrofes da seca e de fome originaram, até ao século XX, um fenómeno diferente – a emigração para o Brasil, Venezuela, Argentina, África e EUA.

A nossa vizinha Espanha, que tem, praticamente, o mesmo clima que o nosso, já tem em funcionamento 900 dessalinizadoras. Simultaneamente, a Espanha criou e desenvolveu um nicho industrial tecnológico nesta área e vende, neste momento, centrais de dessalinização para todo o Mundo. Com esta politica e com esta estratégia, a Espanha criou riqueza e empregos (a exemplo do que fez com a indústria eólica que criou 11.000 empregos e vende equipamentos para todo o Mundo).

É claro que os Espanhóis devem ser malucos e nós os espertos.

Quando os Espanhóis começaram a estudar este processo de dessalinização, em 1970, cada m3 de água dessalinizada custava 2,10 euros. Neste momento, com tecnologia que desenvolveram (osmose inversa) e com uso de energias renováveis, nomeadamente a eólica, permitiram baixar os custos da energia gasta para dessalinizar a água do mar e, neste momento, o custo de cada m3 de água potável custa cerca de 0,46 euros.
Só na Comunidade Valenciana e na Região de Múrcia, a Espanha pretende instalar uma potência eólica de 830 MWH, que é o dobro do que necessitará para produzir 621 hectómetros cúbicos de água potável, anualmente.

Em 1970, a Espanha gastava 22 KWH para produzir 1 m3 de água potável e em 2004 já despendia apenas 3,8 KWH.

Há ainda alguns aspectos a equacionar como seja, por exemplo, o destino final a dar à salmoura obtida, que não pode ser vertida no mar em estado concentrado, para não desequilibrar os meios marinhos.

Um outro aspecto prende-se com o uso de energia renovável para o processo (eólica, energia das ondas), para não agravar a emissão de CO2 para a atmosfera.

Tudo isto é estudado em profundidade em Espanha e já pensam em abandonar o transvaze do Ebro para o sul de Espanha, evitando os custos elevadíssimos nas condutas.

A Espanha discute os problemas, estuda as soluções possíveis, escolhe as melhores soluções e avança determinada para concretizar a estratégia definida.

Por isso é que a Espanha venceu o atraso que tinha e está, neste momento, entre as 10 Nações mais desenvolvidas do Mundo.

Nós, infelizmente, inventamos uma máquina diabólica que dá cabo de todas as ideias válidas – O COMPLICÓMETRO.

Esta máquina não é exportável, pois ninguém a quer.

COISAS RIDICULAS

Quero partilhar algumas situações de que tomei conhecimento através da TV e que me deixaram boquiaberto:

1ª – 22 bravos bombeiros madeirenses vieram prestar auxílio aos bombeiros continentais.
A recebê-los ao aeroporto estava o Sr. Secretário de Estado Ascenso Simões que os saudou com esta tirada de se lhe tirar o chapéu “ O Governo da Republica dá-vos as boas vindas e agradece o gesto de solidariedade”.
Muito há-de ter rido o Dr. Alberto João Jardim ao ouvir estas brilhantes palavras.

2ª – Há quem diga que há 3.000 sapadores bombeiros em Portugal, enquanto outros dizem existirem 800 sapadores bombeiros.
Eu inclino-me para a última hipótese.
Estes 800 sapadores bombeiros continuam retidos nos quartéis, pois não são chamados para auxiliar os bombeiros voluntários. Parece que só uma vez foram chamados os sapadores bombeiros de Lisboa.

3ª – 3 sapadores bombeiros franceses , num gesto de solidariedade,pagaram do seu bolso a viagem para Portugal, pois queriam auxiliar os colegas portugueses.
Levantaram-se muitas barreiras burocráticas a esse gesto de solidariedade, pois não podiam actuar em Portugal.
Creio que faltava um protocolo securitário, o que atrasou a entrada destes voluntários no apoio aos colegas portugueses, que têm lutado denodadamente contra o fogo.

4ª – há 5 helicópteros preparados para o combate a incêndios e que estão, inexplicavelmente , imobilizados em Braga., há mais de um ano.

PORTUGAL NO SEU MELHOR!

segunda-feira, agosto 22, 2005

POLIOMIELITE EM ANGOLA


Li ontem, com preocupação, que a poliomielite, apesar das 2 campanhas de vacinação feitas em Angola, regressou, tendo-se registado casos no Cacuaco, no Lobito, em Cazenga, em Saurino (Lunda Sul) e em Luena (Moxico).

A partir de 1988, a OMS, Rotary International e a UNICEF reuniram recursos financeiros e humanos para concluirem, até 2005, a erradicação da poliomielite em todo o Mundo..

No ano passado havia apenas 7 Países em todo o Mundo que não estavam livres deste vírus. Um País considera-se livre da poliomielite se, durante 3 anos, não aparecerem novos casos.

Os casos detectados em Angola vão obrigar a nova campanha de vacinação em todas as crianças com menos de 5 anos. Felizmente que esta nova campanha de vacinação vai ser mais fácil do que as anteriores, dado que não há guerra neste momento.

A maior parte dos intervenientes nestas campanhas de vacinação oral são voluntários, que se deslocam casa a casa, para administrar as 2 gotas da vacina.

As vacinas têm que ser transportadas com certos cuidados (refrigeração), para não se deteriorarem.

É inaceitável que crianças fiquem paralíticas para toda a vida, pelo simples facto de não terem tomado uma vacina que custa menos de 0,50 euros.

domingo, agosto 21, 2005

SUDOKU


Hoje, pela primeira vez, resolvi um problema deste jogo matemático viciante, que obriga a desenvolver capacidades de raciocínio lógico e que está a conquistar adeptos em todo o Mundo.

Este jogo apareceu nos EUA na década de 70, foi exportado para o Japão e aí tornou-se muito popular.

Já há uma teoria, imaginem, que afirma que resolver problemas como os do SUDOKU, previne doenças como a Alzheimer.

Vamos, pois, praticar para não sermos vítimas dessa terrível doença.

Se a teoria não estiver totalmente certa, também não vem mal ao Mundo. No caso de Portugal que tem um grau elevado de ileteracia matemática, pode acontecer que os nossos estudantes comecem a gostar da Matemática. O País precisa que os nossos jovens dêem esse salto qualitativo, pois sem a Matemática não é possível o desenvolvimento

sábado, agosto 20, 2005

RAIVA PURA


Hoje, ao princípio da tarde, fiquei em estado raivoso.

Despejei a minha raiva a limpar um terreno, utilizando uma roçadora mecânica. Nem tudo correu bem.

Parece que estou a ficar mais calmo.

Pode ser que acorde com outra disposição e com o desejo sincero de deixar de me chatear com os pedregulhos que surgem na vida.

Amanhã terá que ser mais um dia para ser feliz.
Posted by Picasa

sexta-feira, agosto 19, 2005

DESEMPREGO

De acordo com as últimas estatísticas oficiais, o desemprego registado no 2º trimestre de 2005 aumentou 0,9% em relação a igual período de 2004.

Tradicionalmente o Alentejo era a região que apresentava maiores percentagens de desemprego. Acontece porém que, neste momento, a região do Norte é a que apresenta valores percentuais mais elevados.

Para explicar esta situação na Região Norte, convém apontar as seguintes causas – elevada taxa de abandono escolar e fraco nível de formação de base, predominância de sectores tradicionais que estão em crise (têxtil, vestuário e calçado), falta de investimento nas obras públicas e privadas e falta de capacidade para criar empresas em áreas de base tecnológica.

O desemprego é uma “ doença social “ de consequências dramáticas quer para os trabalhadores e respectivas famílias, quer para as finanças públicas.

Temos que nos convencer que o emprego “tradicional “ morreu. O modelo em que um trabalhador entrava para uma empresa e aí continuava ao longo de toda a sua vida profissional, deixou de existir.

Cada vez mais a flexibilidade no emprego vai ser uma constante. Os trabalhadores têm que, ao longo da sua vida produtiva, adaptar-se a novas profissões, a novos desafios e a novas competições.

Infelizmente, quem não estiver mentalmente preparado para estas situações, sossobrará.

É evidente que o desemprego, em Portugal, infelizmente, vai continuar a aumentar. O desemprego só diminuirá quando o País tiver um crescimento económico superior a 2,5% ao ano.

Há muitos estudos feitos sobre o desemprego e há dezenas de terapêuticas para o solucionar.

Temos sectores estratégicos com técnicos profundamente habilitados para desenvolverem estratégias fundamentais para o nosso crescimento e desenvolvimento económicos.

Existem no País “ CENTROS DE EXCELÊNCIA “ e potencial de inovação que podem ser mais dinamizados através de parcerias entre o sector público (Universidades) e o sector empresarial.

Temos que apostar na electrónica, robótica, engenharia biomédica e agro-alimentar, plásticos técnicos, agricultura de especialidades, celulose, papel, moda e têxteis técnicos, indústria automóvel e aeronáutica, informática, consumíveis hospitalares, turismo residencial, exploração dos recursos marinhos etc.

Há, no entanto, um sector em que temos que intervir – reduzir a nossa dependência energética dos combustíveis fósseis importados e apostarmos nas energias renováveis
.Só assim poderemos ganhar alguma competitividade num mundo globalizado, como o que nos atinge todos os dias.

terça-feira, agosto 16, 2005

CONCERTO DOS U 2

Quando faço este post, já a melhor banda rock do Mundo passou por Lisboa como um foguete, para dar o concerto mais esperado do ano, em Portugal.

À volta deste fabuloso espectáculo há que referir alguns aspectos reveladores da histeria colectiva ligada a este concerto bilhetes esgotados há muitos meses, falsificação e especulação dos ingressos (500 euros por um lugar de bancada e propostas “indecentes” pela Internet a 1.000 euros).

Referir o aparato da super estrutura tecnológica montada no Estádio Alvalade XXI – palco de 80 metros de largura e 20 metros de profundidade, uma muralha de luzes, ecrãs gigantes e aparatoso sistema multimédia, tudo isto transportado por 70 camiões TIR e instalado por 300 pessoas.

Depois a cerimónia de condecoração com a Ordem da Liberdade pelo Presidente da Republica, com base no envolvimento da Banda no perdão da dívida do 3º Mundo, na defesa de causas humanitárias e dos direitos humanos.Quem sou eu para discutir a justeza desta atribuição honorífica (só sei que Portugal tem que perdoar a dívida de Moçambique).

Não fui das 52.000 pessoas que assistiu ao concerto, mas vi reportagens elucidativas da inconfundível guitarra de The Edge, a voz fabulosa de Bono, a sonoridade das canções e as mensagens mobilizadoras de consciências.

Parece tudo perfeito e em sintonia.Será que tudo bate certo?

Bono revela uma vertente messiânica de agitar consciências para combater a pobreza, promover a paz e a solidariedade e o entendimento entre religiões.Bono fundou a organização DATA que visa lutar pelo perdão da dívida dos Países do 3º Mundo, pelo combate à Sida em África. Tem sido recebido, ouvido e é temido pelos homens mais poderosos do Mundo.

Tive oportunidade de ler uma entrevista feita a Bono pelo jornalista David Dusster e que à pergunta – PORQUÊ O NOME VERTIGO, respondeu “ é um sentimento de estar no início do século XXI e ver o Ocidente tão opulento. É sentir que o que te rodeia te enjoa, vês que as pessoas não sabem para onde olhar, que estás onde te deverias sentir bem e não sentes e que a música não tem sentido “

Sem pôr em causa o valor artístico inquestionável dos U 2, ficaria de mal com a minha consciência se não questionasse toda a vertente filantrópica da banda com estes factos:
1 – Os U 2 acordaram domingo de manhã na sua mansão em Nice, entraram no seu avião privativo Airbus rumo a Lisboa com uma comitiva de 150 pessoas, entre elas vários cozinheiros (para quê?)
2 – Aterraram em Lisboa à hora do almoço e foram embora, logo a seguir ao concerto
3 – Antes e durante o concerto as tendas de merchandising vendiam peças referentes à banda a preços exorbitantes – uma sweat-shirt custava 50 euros
4 – A Banca “ POBREZA ZERO” vendia pulseiras a 1 euro

Admito que não concordem com estas interrogações. Mas tinha que as fazer.

sábado, agosto 13, 2005

PEDRAS PARIDEIRAS


Na Serra da Freita, no lugar da Castanheira da freguesia de Albergaria da Serra (Concelho de Arouca), verifica-se a existência dum fenómeno de granitização único em Portugal e raro no Mundo (apenas são conhecidos estudos de ocorrências na Rússia, Alemanha e Sardenha).

Nesse lugar aparecem afloramentos graníticos com numerosos nódulos biotiticos, em formas de discos circulares ou de medalhões.

Os medalhões biotiticos têm uma forma biconvexa e ao saírem do granito, deixam neste uma cavidade revestida por uma capa biotitica.

Pela erosão da rocha os medalhões acumulam-se à superfície do solo.

Por esse motivo, os camponeses da região chamam à rocha " a pedra que pare pedra ", isto é, a rocha que produz uma outra rocha.

Dada a pilhagem destas pedras para revestir, sobretudo lareiras, a Câmara Municipal de Arouca viu-se obrigada a delimitar por uma vedação em rede o acesso directo ao local.
Posted by Picasa

sexta-feira, agosto 12, 2005

FARAV-Feira Artesanato de Aveiro


Termina no próximo domingo a FARAV-Feira de Artesanato da Região de Aveiro.O certame foi fraquito.Não provei"maminhas de noviça", nem "bocados do abade". Em contrapartida saboreei excelente presunto "pata negra" Posted by Picasa

INCÊNDIO EM AROUCA


Ontem, ao fim da tarde, fomos ver o estado lamentável em que ficou uma parte apreciável do Concelho de Arouca, depois do incêndio que deflagrou, a seguir ao dia 4 de Agosto.

Colhi imagens dantescas duma tragédia de dimensões nunca vistas em Arouca.

Para haver um incêndio é necessário conjugarem-se os 3 elementos, em simultâneo, do chamado "TRIÂNGULO DO FOGO" - oxigénio, combustível e temperatura.

Para que um incêndio não se propague, é necessário eliminar, pelo menos, um dos lados desse fatídico triângulo.

Constatei isso, ontem, pois a maior parte das matas ardidas não estavam limpas (combustível no solo).

Verifiquei que, em algumas zonas onde havia plantações de árvores em banquetas, com as árvores alinhadas para permitirem a escarificação do solo com máquinas adaptadas, essas áreas foram poupadas ao incêndio, apesar de serem espécies "amigas" do fogo (eucaliptos). À volta destas áreas tudo ardido, excepto elas.

O Governo teve que reconhecer, ontem no Parlamento, que a área ardida não era de 60.000 hectares, mas sim 120.000 hectares.Ontem, percorri 18 kms de carro, por estrada continuamente afectada pelo incêndio e com uma média de 2 kms de largura. Isso significa que, só em Arouca, arderam em 3 dias 3.600 hectares de floresta.
Posted by Picasa

quinta-feira, agosto 11, 2005

VIGILÂNCIA MARÍTIMA


Vai ser instalado em Portugal, até final de 2007, um sistema de vigilância marítima (VTS), que terá 3 Centros de Controlo localizados em Paço de Arcos, Portimão e Aveiro, bem como 8 radares de longo alcance instalados em sítios estratégicos e 8 radares portuários.

Um dos radares de longo alcance ficará localizado em Arouca (terra onde vivo), na Serra da Freita (1100 metros de altitude), já que, mesmo a olho nu, desta Serra vê-se toda a costa marítima de Leixões a Aveiro.

Embora Arouca esteja a 60 Kms do Porto e a 70 Kms de Aveiro, a sua orografia vai permitir integrar o sistema VTS.

Este sistema, depois de instalado, vai permitir controlar a passagem de todos os navios ao longo da costa portuguesa (creio que passam diariamente 600 navios junto à nossa costa).

Portugal, dada a extensão da sua costa comparada com a dimensão territorial, precisa de apostar nas "AUTO-ESTRADAS DO MAR ", monitorizando e fiscalizando barcos de grandes dimensões e que transportam, alguns, cargas poluentes, navios que fazem limpeza dos porões causando poluição nas costas e barcos que actuam no contrabando.

O sistema, quando estiver a funcionar, vai permitir também que o nosso potencial de pesca na nossa ZEE seja mais fiscalizado, combatendo os predadores estrangeiros.

Sem saudosismos de antanho, temos que voltar a ver no mar um " OCEANO DE OPORTUNIDADES" para o nosso futuro colectivo. O mar que nos abraça tem enormes recursos, que urge preservar e valorizar.

Oxalá que consigamos vencer esse desafio que a todos nós diz respeito. BASTA QUERER!
Posted by Picasa

quarta-feira, agosto 10, 2005

ENERGIA DAS ONDAS



Quando estive na Ilha do Pico, em Outubro/Novembro de 2004, tive oportunidade de ver uma instalação piloto de aproveitamento da energia das ondas, localizada no sítio assinalado na foto.

Agora vai ser instalada uma central de produção de electricidade na Área Metropolitana do Porto, mediante o aproveitamento da energia das ondas, na zona dos Molhes do Douro, que estão em construção na Foz.

A central terá capacidade para produzir 1,2 gigawatts de electricidade, o suficiente para as necessidades de 600 habitantes.

O investimento ronda os 2,8 milhões de euros.

Portugal, dada a sua dependência dos combustíveis fosseis, deve aproveitar todos os recursos de que dispõem para produzir energia limpa e para reduzir a importação de produtos petrolíferos.
Posted by Picasa

REGRESSO

Estou de volta.

Depois de dias arreliantes com problemas de ligação pela internet, tudo voltou ao normal, dado que a PT, hoje, resolveu mandar um técnico a casa para detectar a avaria.

Aqui em Arouca, devido aos incêndios há 2 freguesias que estão piores, pois ficaram sem luz eléctrica e sem telefone.

Vou procurar manter vivo este espaço de comunicação

sábado, agosto 06, 2005

INCÊNDIO EM AROUCA

No dia 3 do corrente começou, em Arouca um incêndio nuns terrenos vizinhos de S.Pedro do Sul.O fogo foi galgando montes e vales, por sítios quase inacessíveis para uma centena de bombeiros que o combateram. Mais de um milhar de hectares de floresta foram consumidos pelo fogo, bem como casas e campos agrícolas. Felizmente que não se registaram vítimas humanas neste sinistro.

No dia 4 eu estive na Vila toda a manhã. Por volta das 12 horas vim almoçar a casa (dista 5 Kms da Vila). Tive que regressar às 2 horas à Vila e quando me aproximei da sede do Concelho, fiquei espantado e incrédulo com o que vi. O fogo, nesse intervalo de tempo, tinha galgado Kms de extensão e tinha chegado à parte urbana da Vila.

O espectáculo era dantesco. O ar ficou irrespirável, o sol escureceu com o fumo (a iluminação pública acendeu-se automaticamente como se fosse de noite), as ruas, os campos, as casas, os terraços ficaram cobertos de fuligem preta.

Folhas de eucalipto, cascas e agulhas de pinheiro caíram por todo o Concelho, arrastadas pelo vento. Muito deste material ainda vinha a arder, o que provocou novos focos de incêndio.

Hoje, dia 6, ainda existem fogos dispersos. As gargantas andam irritadas, o cheiro a queimado provoca dores de cabeça e os narizes estão entupidos.

Arouca, esta semana, ficou mais pobre. Uma das riquezas deste Concelho residia na floresta. O Concelho tem uma área aproximada de 34.000 hectares e 60% desta, está afecta ao uso da floresta. Todos os dias, em circunstâncias normais, saem de Arouca cerca de 600 m3 de madeira.

Ontem tive que percorrer a parte poente e central do Concelho, durante a tarde. Tive que reconhecer que as condições meteorológicas (acima dos 35º) podem contribuir para os incêndios, mas há muita incúria dos proprietários florestais.

Vi grandes manchas de floresta sem limpeza dos matos, vi restos da exploração da madeira deixados ao abandono, vi montes de lenha acumulados sem precaução junto às casas, vi centenas de casa sem zona de protecção contra fogos.

Basta a incúria de umas pessoas e os desequilíbrios psicológicos de outros para termos tragédias como a que vivemos estes dias em Arouca.

Os pirómanos que são apresentados a Tribunal, ficam em liberdade. Os jornais referiram a semana passada que não havia pirómanos presos.

Num jornal de hoje vi uma descrição completa e com desenho explicativo como se pegou um fogo em Sever do Vouga – um cigarro aceso que tinha junto ao filtro dezenas de fósforos unidos por fita-cola.

Grande jornal e excelentes jornalistas!!!!!!!!!!
Podem limpar as mãos à M…A que publicaram.

terça-feira, agosto 02, 2005

VIAGEM MEDIEVAL


No fim-de-semana fui com a minha Mulher a Santa Maria da Feira para assistir às manifestações lúdicas e culturais, integradas na 10ª edição da VIAGEM MEDIEVAL.

Trata-se da maior recriação histórica que se realiza no nosso País, e dizem os organizadores que é a maior reconstituição medieval da Europa.

Neste evento que é organizado, conjuntamente pela Autarquia local e pelas colectividades deste Concelho (que é o mais populoso do Distrito de Aveiro)., procura-se recriar a vida da Idade Média. No meio do público assistente, circulam figurantes de carne e osso vestidos conforme os usos da época, representando as diversas classes sociais da Idade Média.

No vasto recinto, ocupado por mais de uma centena de tendas e barracas assiste-se aos trabalhos dos artesãos, aos pregões dos mercadores, às lutas e pelejas de cavaleiros e ao treino de artes militares medievais., tudo isto envolvido numa atmosfera recheada de cheiros fortes, sabores exóticos e cores garridas.

Nesta edição procura-se recriar o tempo de D.Diogo Pereira, Senhor da Terra da Feira e da vida no seu Castelo. Durante os dez dias que dura o evento, cerca de 500.000 pessoas assistirão ao festim, cortejo e juramento, noite da expurgação, auto do Conde e peregrinação.
Posted by Picasa