terça-feira, outubro 18, 2005

A POBREZA EM PORTUGAL


A pobreza é a doença social mais mortífera existente no Mundo.

Sem margem para dúvidas, podemos afirmar que a pobreza é a escravatura do Sec. XXI.

Um em cada 5 portugueses é pobre - 2.500.000 habitantes.

Este número é assustador.

As 100 maiores fortunas portuguesas representam 17% do PIB e 20% dos portugueses controlam 45,9% do rendimento nacional.

É urgente encarar este problema de frente. Ninguém no seu perfeito juízo quer acabar com os ricos, mas sim acabar com os pobres.

A pobreza nos meios rurais, comparada com a que se regista nas áreas urbanas, é atenuada um pouco, pelo facto das pessoas terem, na generalidade, um pouco de terra de onde colhem batatas, hortaliças e fruta e onde criam galinhas e porcos.

A pobreza e a exclusão social deve ser colocada no topo da agenda politica e deve ser transversal a todas as politicas sociais.

Em Portugal a pobreza atinge principalmente:
- idosos com pensões baixas(média 163 euros/mês)
- desempregados de longa duração
- famílias mono parentais
- pequenos agricultores
- minorias étnicas
- população com baixo nível de instrução.

Soluções para este flagelo social:
- promoção do emprego, garantindo salário necessário para uma vida minimamente digna
- inovação pedagógica e incentivo à educação e à formação contínua
- protecção social a agregados desestruturados, complementada com cuidados de saúde
- habitação condigna para todos(acabar com as barracas)
-atenção especial aos idosos sem família
- pensões que permitam um mínimo de auto-suficiência alimentar.

O problema é grave. Todos não somos demais para eliminar este flagelo.
Posted by Picasa

4 Comments:

Blogger graziela said...

gosto que estejas sempre atento aos problemas sociais e humanos.
façamos a nossa parte, como nos compete e talvez consigamos minorar, ainda que de uma forma ínfima, os problemas dos nossos semelhantes.
um beijo
graziela

10:13 da tarde  
Blogger Armando S. Sousa said...

Concordo quando diz que o problema é grave e que todos não somos demais para pelo menos atenuar este flagelo. No entanto o Estado português não pode ser demitido das suas responsabilidades, quando poderia e poderá fazer muito mais para começar de uma vez por todas a resolver este flagelo.
Um abraço.

2:40 da tarde  
Blogger rajodoas said...

A resolução dos problemas sociais cabe em princípio aos Governos dos paises para isso são mandatos através do voto das populações. É certo que também cabe à sociedade civil alguma obrigação nesse particular, sobretudo saber distribuir melhor a riqueza produzida, assegurando aos seus trabalhadores o pagamento de salários dignos. Não tem sido infelizmente isso que tem acontecido quer através de políticas acertadas dos governos quer da sociedade civil,através deprocedimentos adequados no sentido de evitar esta espécie de catástrofe social na qual os mais fracos e desprotegidos, acabam vagueando pelas ruas dormindo ao relento na maior das misérias. Com um abraço do Raul

7:27 da tarde  
Blogger mfc said...

Só por despudor se poderá votar contra, como vão votar o PP/PSD/PS, o projecto de lei de um imposto de o.6% sobre as grandes fortunas!!!

10:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home