quarta-feira, novembro 30, 2005

PROTOCOLO DE QUIOTO


Está a decorrer, em Montreal, a 1ª sessão da Cimeira das Nações Unidas sobre o Clima, depois da reunião de Quioto, onde foram definidas as regras de emissões de gases de efeito de estufa.

O Protocolo de Quioto entrou em vigor em 16 de Fevereiro deste ano, tendo sido ratificado por 142 Paises.Os Países desenvolvidos comprometeram-se a reduzir, até 2012, as emissões de gases com efeito de estufa em 5,2%(em relação aos valores de 1990).

Os EUA (o maior poluidor do Planeta) e a Austrália rejeitaram o Protocolo de Quioto com base no argumento de que a redução de emissão de gases com efeito de estufa seria um colete-de-forças ao desenvolvimento económico dos 2 Países.

A Humanidade, se não fizer nada, caminha a passos largos para uma catástrofe gigantesca, de que são exemplo os recentes furacões, as cheias torrenciais, as depressões tropicais e as vagas de calor.

E Portugal, como está neste aspecto?

Somos, neste momento, o País da Europa que emite mais gases poluentes, proporcionalmente à produção que temos. Somos o campeão europeu da ineficiência energética.

É um triste atestado do nosso atraso, porque:
- circulamos demasiado em rodovia
- utilizamos transportes obsoletos(importamos carros e autocarros velhos) e poluentes
- apostamos como politica de transporte no estradismo, no carrismo e no camionismo
- não temos estimulado, de forma decisiva, as energias alternativas
- não modernizamos o tecido produtivo
- fomentamos o uso de automóvel - construímos túneis, pontes e parques subterrâneos
- construímos sem preocupações térmicas.

Portugal já ultrapassou a quota de emissão de CO2 que estava definida para o nosso País. Para corrigir esta situação gravosa, Portugal tem que atingir, até 2012, as seguintes metas:
Electricidade
-39% da electricidade tem que ser obtida de fontes renováveis
Combustíveis
- substituir 5,75% da gasolina por biocombustivel
Edifícios
- apostarmos na eficácia térmica na construção e instalação de paineis solares para aquecer água nos edifícios novos
Transportes Públicos
- termos autocarros movidos a gás natural(existem 175 no Porto, correspondentes a 30% da frota)
- transferência de transportes de mercadorias por conta própria por frotas especializadas
- expansão das redes de metro
- aumento das tarifas de parqueamento
Condução Automóvel
-a redução da velocidade média nas auto-estradas (passar dos 120Kms/hora para 114Kms/hora implicaria menos 300.000 toneladas de CO2 no ar)
- imposto automóvel com tributação crescente em função do aumento de emissão
Agricultura e Florestas
- criação de 600.000 hectares de novas áreas florestais(absorvem CO2)
- produção de electricidade a partir do biogás.

Se não fizermos nada, temos que comprar os direitos de emissão a Países que não atingiram as suas quotas de emissão. Prevê-se que, até 2008 cada tonelada de CO2 custará 50 euros e, a partir dessa data custará 100 euros.A China, a India e o Brasil já estão no mercado de créditos de carbono. Calcula-se que, este ano, o mercado de créditos de carbono movimente 5 a 7 biliões de dolares em todo o Mundo.

As Centrais Termoeléctricas de Sines e Setúbal, emitem 12.000.000 toneladas anuais de CO2 e a Central de Ciclo Combinado da Tapada do Outeiro emite 2.700.000 toneladas.

É só fazer as contas de quanto nos custará. Em 4 anos, representará uma verba superior aos custos do Aeroporto da Ota ou do TGV.

Temos que pôr um travão nesta corrida desenfreada e louca no uso de combustíveis fósseis, caso contrário, caminhamos para uma catástrofe civilizacional.

O esforço tem que ser um desafio colectivo.
Posted by Picasa

terça-feira, novembro 29, 2005

CANTONEIROS DE LIMPEZA DO PORTO


Quase todos nós, quando de manhã percorremos as ruas limpas das cidades, não nos lembramos do trabalho que é feito, durante a noite, pelos cantoneiros de limpeza urbana.

Com bom ou mau tempo, debaixo de chuva e com frio de rachar os ossos muitas vezes, estes homens recolhem, diariamente, durante a noite, centenas de toneladas de lixo.

Trata-se dum trabalho pesado, sujo e de risco elevado para a saúde.

Os cantoneiros de limpeza da cidade do Porto estão em greve, por 2 dias.

Quem não conhecer a verdadeira história, pensa que a greve visa directamente a Câmara Municipal do Porto, mas só, indirectamente, a greve visa essa entidade.

Eis a história.

A Câmara Municipal do Porto em Janeiro de 1974 instituiu um prémio de 5 a 15
escudos diários para o trabalho nocturno de recolha do lixo na cidade, pois os salários desses trabalhadores eram muito pequenos e o serviço era duro.

A Assembleia da República, em 1986, reconhecendo a justiça desta remuneração adicional, aprovou uma Lei que reduzia a remuneração para metade, mas alargava essa retribuição a todos os cantoneiros de limpeza urbana do País.

A Câmara Municipal do Porto entendeu que devia continuar a pagar a totalidade do subsídio e criou um prémio para quem trabalhasse entre as 20 e as 7 horas.

A Assembleia da República, em 1998, aprovou uma Lei que instituía uma compensação pelo trabalho realizado em situações de risco, de salubridade e de penosidade, ficando determinado que a Lei seria regulamentada no prazo de 150 dias.

Infelizmente, tal não aconteceu.

Agora, a Inspecção-Geral da Administração do Território (IGAT) exige que a Câmara Municipal do Porto acabe com esta "ilegalidade".

A IGAT embora reconheça "socialmente correcto o subsídio , diz que este não tem sustentação na Lei"e prepara-se para enviar ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas este processo.

A Câmara Municipal do Porto despende 500.000 euros anuais com este subsídio.

Poderão ser assacadas responsabilidades financeiras quer à Câmara, quer aos cerca de 600 funcionários, que poderão ter que repor os prémios recebidos.

Na minha modesta opinião, oProvedor da Justiça devia era participar ao Ministério Público contra quem não regulamentou a Lei de 1998.

Conclusão:

A Câmara Municipal do Porto não se nega a pagar o pequeno subsídio mensal.
A IGAT diz que é ilegal este ridículo subsídio e que não pode, portanto ser atribuído.
O Provedor de Justiça não processa quem não regulamentou a Lei aprovada.
Os trabalhadores ficam privados dum complemento de salário, que lhes fazia jeito.
A população da cidade tem que viver 3 dias com as ruas cheias de lixo e com cheiro nauseabundo.

VIVA ESTA REPUBLICA DAS BANANAS !
.



sábado, novembro 26, 2005

NEVE NA SERRA DA FREITA


Hoje, de manhã, quando me levantei, eram 10 horas.

Abri a janela para ver como estava o tempo e deparei com a Serra da Freita coberta de neve.

Tirei esta fotografia, quando a temperatura exterior era de 4ºC. O local da neve fica a 1.000 metros de altitude e dista, em linha recta, cerca de 4Kms de casa.

De tarde tive uma reunião de trabalho no Cinema Globo D ´Ouro, onde dezenas de representantes da maioria das 90 Associações do Concelho de Arouca debateram com a Câmara Municipal as parcerias a estabelecer, quer quanto à organização de eventos, quer quanto aos modelos de financiamento das acções.

Por fim foi apresentado o Projecto EDV DIGITAL (Entre Douro e Vouga Digital) que visa divulgar as novas TIC junto da população, das entidades locais, públicas ou privadas.

O EDV Digital vai ter pontos de acesso por banda larga "hotspots ", quiosques multimédia com informação regional, bem como o projecto " NET sobre Rodas " com 2 viaturas equipadas com 12 computadores portáteis ligados através de uma rede sem fios, com acesso à Internet, scanner, impressora, máquina fotográfica digital, projector multimédia e terá a colaboração de 2 animadores por carrinha.

Quando regressei a casa, eram 19 horas e os termómetros registavam 2ºC.

Soube bem regressar ao calor do lar, onde a minha Mulher teve o cuidado de municiar a lareira de lenha, durante as 4 horas em que estive em reunião . Estava um ambiente muito acolhedor.
Uma maravilha !
Posted by Picasa

quinta-feira, novembro 24, 2005

ÉLITES DO NORTE – CRISE?

Está a decorrer na Universidade Católica do Porto um Ciclo de Conferências subordinado ao tema “ OLHARES CRUZADOS SOBRE O PORTO “.

A primeira sessão teve lugar no dia 22 do corrente e a quinta e última vai realizar-se no dia 12 de Janeiro.

Na primeira sessão debateu-se o tema “ ONDE ESTÃO AS ÉLITES DO GRANDE PORTO?”.

Serviu de moderador o banqueiro Artur Santos Silva e foram oradores o sociólogo António Barreto e o economista Miguel Cadilhe.

Foi reconhecido que o Grande Porto não tem conseguido impor-se por si próprio como 2ª grande cidade do País, como aconteceu com Barcelona, S.Paulo, Frankfurt ou Edinburgo.

Artur Santos Silva reconheceu que o problema do Norte é que não nos assumimos com força, pelo que as Universidades e as empresas têm que fazer muito mais do que o que têm feito.

O Norte tem que se impor por si próprio, não tem que mendigar favores a ninguém. O “ Poder” não se dá, conquista-se.

Foi reconhecido que há muitas e boas elites nortenhas nas empresas, nas artes, nas universidades, no desporto. O Grande Porto tem que se orgulhar do seu passado, do seu presente e tem que ser ambicioso quanto ao futuro.

Vejamos casos concretos:
EMPRESAS E EMPRESÁRIOS

-o maior empresário português é do Norte – Eng.º Belmiro de Azevedo
- o maior grupo mundial de cortiça é do Norte – Américo Amorim
- a maior universidade do País é a Universidade do Porto(27.000 alunos e 2.300 professores)
- um dos mais prestigiados institutos de pesquisa científica de medicina é do Norte – IPATIMUP ( Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da UP, chefiado pelo Prof. Sobrinho Simões
- o maior grupo cervejeiro e líder do mercado é do Norte – Unicer
- o maior grupo leiteiro é do Norte – Lactogal
- o maior grupo de embalagens metálicas é do Norte – Colep
- o maior grupo de calçado é do Norte – Kyaia
- os atoalhados, lençóis e colchas fabricados no Norte têm 16% da quota de mercado na Europa e 25% nos EUA
- o arquitecto português mais prestigiado internacionalmente é do Norte – Siza Vieira

MONUMENTALIDADE
- Palácio da Bolsa construído em 1842/3
- Museu de Arte Contemporânea (Serralves) tem mais visitantes do que todos os Museus juntos de Lisboa, à excepção do Museu dos Coches
- Café Magestic (ambiente Belle Époque) inaugurado em 17 de Dezembro de 1921
- Livraria Lello – a mais bonita livraria do Mundo
- Teatro Nacional de S. João – inaugurado em 13 de Maio de 1789
- Torre dos Clérigos projecto de Nicolau Nasoni, concluída em 1763
- Azulejaria diversa – Capela das Almas (15.497 azulejos que foram reproduzidos pela National Geographic), Estação de S.Bento (11.000 azulejos desenhados por Jorge Colaço), Igreja de S. Ildefonso e a Igreja do Carmo (azulejos de 1912 de Silvestri/Carlos Branco)
- Museu Nacional de Soares dos Reis
- Caves do Vinho do Porto
- Centro Português de Fotografia (antiga Cadeia da Relação onde Camilo Castelo Branco escreveu em 15 dias, na cela 12 o “Amor de Perdição “
- a Casa da Música

Com estas considerações não quero criar uma “guerra “ norte-sul., bem pelo contrário. Quanto mais positivo, mais orgulhoso e mais ambicioso for o Norte, melhor e maior será a nossa auto-estima lusitana que, infelizmente, anda pelas ruas da amargura.

FOOOOORÇA ……. CARAAAAAGO!

terça-feira, novembro 22, 2005

CURIOSIDADES CRIATIVAS

Quero partilhar com os leitores 4 casos de que tive conhecimento e que demonstram que nós Portugueses, quando queremos, fazemos coisas com sucesso.

1º Caso
A Universidade do Porto (é presentemente a maior universidade portuguesa 27.000 alunos e 2.300 docentes) decidiu que, para além de ser um “Centro de Excelência, podia lançar produtos de alta qualidade, que designou por Colecção “ PRESTÍGIO”
O projecto, para além de contribuir para elevar a marca “UP “, visa colocar à disposição de mais de 70.000 ex-alunos, alunos e docentes um conjunto de peças assinadas por artistas de reconhecido mérito, pertencentes aos quadros da U.P.
A 1ª peça artística colocada à disposição do universo pré-definido, foi uma caneta desenhada pelo Prof. Francisco Laranjo da Faculdade de Belas Artes do Porto.
A caneta imita um papiro egípcio, transmitindo a ideia da passagem duma mensagem em forma de papel enrolado que se passa a alguém.
A U.P colocou à venda 2 modelos desta caneta – a “Prestígio” em corpo de prata maciça banhada a ouro de 24 quilates e a “ Aluminium “ disponível nas vertentes caneta e roller.

2º Caso
A Vista Alegre ganhou o concurso internacional de design e fabrico mundial das chávenas para a Nestlé.
Venceu todos os concorrentes europeus e asiáticos.
São milhões de chávenas/ano.

3º Caso
A Galp, em parceria com a Amtrol, INEGI e a Universidade do Minho, desenvolveu um projecto duma nova garrafa de gás, que é 50% mais leve que a tradicional, é mais ergonómica e tem um reservatório interior em aço reforçado por uma matriz de polipropileno e fibra de vidro.
A parede exterior é constituída por polietileno de alta densidade, dispondo duma válvula de segurança e um fusível térmico que protege no caso de temperaturas elevadas.
Esta garrafa foi galardoada, este ano, com o prémio “ SPIRIT OF CONQUEST “.

4º Caso
Um inventor de Oliveira de Azeméis foi premiado com a medalha de ouro num certame internacional, realizado em Genebra, onde competiu com 750 inventores de 45 Países.
Trata-se dum sistema de alarme para viaturas que, no caso de serem roubadas, podem ser bloqueadas, à distância, através do telemóvel do proprietário
Imoralidade da história
O inventor está desempregado e não encontra quem queira financiar o desenvolvimento técnico e comercial dos seus vários projectos ligados à segurança.

DIA DA MEMÓRIA

Ontem, assinalou-se em todo o Mundo desenvolvido, o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada.

Apesar de termos reduzido, nos últimos anos, a taxa de mortalidade nas estradas nacionais, continuamos a ter o maior índice de sinistralidade europeia.

Vamos registar, até ao fim deste ano, mais de 1.000 mortos nas estradas nacionais e cerca de 4.500 feridos graves e 35.000 feridos ligeiros.

A estatística dos mortos é feita apenas com base nos óbitos ocorridos nas 24 horas imediatas ao acidente. Os feridos graves que, entretanto, morrem, não contam para as estatísticas. Calcula-se que cerca de 15/20% desses feridos graves, morrem nos 30 dias imediatos aos acidentes.

Podemos, portanto concluir que, neste momento, morrem nas estradas portuguesas, cerca de 2.000 pessoas/ano.

É uma autêntica carnificina, temos que reconhecer.

Morrem tantas pessoas nas estradas portuguesas durante um ano, como as baixas que se registaram nas tropas da coligação que invadiram o Iraque.

Estamos a travar, por isso, uma.”Guerra “ nas estradas nacionais.

Todos nós cometemos, de vez em quando e em certas circunstâncias, uma ou outra transgressão nas estradas. Acontece, porém, que há condutores que cometem todos os dias os mesmos erros de condução agressiva e perigosa – excesso de velocidade, ultrapassagens mal calculadas, não atender ao estado das estradas, do piso e das viaturas, uso de telemóvel, não usar cinto de segurança etc.

Conto dois casos que vi, hoje de manhã numa estrada nacional, que atravessa uma zona urbana e onde é proibido circular a mais de 50km/hora – um carro do Corpo Diplomático circulava dentro dos limites de velocidade definido, mas o condutor usava o telemóvel (devia estar a discutir com alguém a diplomacia económica a desenvolver nos Países da lusofonia, ou as graves questões ligadas à invasão dos produtos manufacturados provenientes do Oriente) Vi também um instrutor duma Escola de Condução que circulava nesse troço urbano a uma velocidade extremamente excessiva, pelo que os seus alunos, vão copiar esse exemplo de condução irresponsável.

Eu cometo, às vezes, alguns erros. Vou procurar emendar-me.

segunda-feira, novembro 21, 2005

46ª SEMANA DE 2005

A semana que terminou impediu-me, quer de escrever no meu blog, quer navegar por outros que leio com interesse e curiosidade, mesmo quando, eventualmente, tenha uma opinião um pouco divergente.

São circunstâncias da vida, que aceito com tranquilidade

Fomos a Lisboa no dia 14 e regressamos no dia 17.Estivemos com pessoas da Família, apreciamos a luz outonal de Lisboa, saboreamos o gostinho de estar nas esplanadas a ver a vida a fluir, observamos as pessoas que circulavam nas ruas, umas sorridentes outras nem por isso, fizemos compras no Chiado, adquirimos o último romance histórico de José Rodrigues dos Santos, andamos por Cascais e pelo Estoril.

Mas o melhor aconteceu, na noite do dia 15. Estava combinado um encontro entre bloguistas, em Telheiras.

Pessoa que nunca se tinham visto, quando nos encontramos, parecia que já tínhamos convivido anos e anos.

Para mim foi uma noite memorável encontrar e conhecer as bloguistas Libelinha, Por um Fio, O Manual, O Piano e os bloguistas Faz Tudo e Escritas e Pinturas.

Bebemos e petiscamos ao som duma suave música de fundo, conversamos sobre nós, falamos das experiências vividas, dos sonhos, das vivências passadas, das coisas boas que aconteceram, enfim um serão que, se não fossem compromissos assumidos ter-se-ia prolongado por horas e horas sempre…agradáveis.

Uma noite que recordarei, sempre, com carinho e amizade.

No outro dia participei com mais de 2.000 autarcas no Encontro Nacional de Eleitos Locais, em Santarém, onde foram debatidas as questões gravosas para as Autarquias Locais inseridas no Orçamento de Estado para 2006.

No outro dia regresso a Arouca, mas um grave acidente em cadeia na A1 obrigou.nos a alterar o percurso. Passamos uma boa parte do dia na Nazaré, onde já não íamos há algum tempo.

Nos outros 2 dias seguintes preparar a reunião da Assembleia Municipal e dirigir os trabalhos da sessão, que decorreu bem.

No fim-de-semana pôr a leitura dos jornais em dia, estar com os filhos e com os amigos e descansar, junto à lareira onde o fogo crepita

Amanhã, uma nova semana. Oxalá que ocorram coisas boas.

domingo, novembro 13, 2005

LAR DA 3ª IDADE DE AROUCA


Ontem, participei nas festividades alusivas ao 19º aniversário da entrada em funcionamento do Lar da 3ª Idade da Santa Casa da Misericórdia de Arouca.

Trata-se duma obra da maior valia no Concelho de Arouca dado que, neste momento, vivem neste Lar cerca de 100 idosos.

Quando o Lar foi inaugurado, houve muita crítica referente às cores adoptadas nas pinturas. Eu sempre gostei da solução adoptada. A cor branca ou similar daria sempre a ideia que se estava num Hospital. As cores podem ter um efeito benéfico na saúde das pessoas, se forem bem escolhidas. Neste Lar vive-se duma maneira mais positiva, dentro das limitações de saúde dos utentes.

As instalações são modelares, muito funcionais e sente-se que o Lar é um "oásis" de paz e tranquilidade para todos os utentes, que passaram toda uma vida de muito trabalho e a grande maioria sofreram grandes privações, sobretudo no período 1930/1950, em que o País passou por uma grave crise económica.

Tomei conhecimento de algumas vivências registadas no quotidiano desses idosos.

Há um grupo de Senhoras que se dedica aos bordados, à confecção de tapetes de Arraiolos e de tiras, bem como de bonecos e pequenos cestos para ofertas de prendas em datas festivas. As linhas são oferecidas pelas lojas da especialidade de Arouca bem como por uma Multinacional (Coats & Clark) e as tiras de tecido por empresas de Concelhos vizinhos.

Todo este artesanato é vendido em feiras e o produto das vendas reverte a favor da instituição.

Há, no entanto, uma Senhora ciosa dos seus trabalhos (gatos em lã) que os coloca no comércio local, não prescindindo de ficar com a totalidade do produto das vendas.

Soube, ontem, que também se registam casos de namoro entre os idosos, tendo alguns terminado em casamento.

Neste momento vivem no Lar um Homem e uma Mulher que se apaixonaram um pelo outro. Enquanto o namoro durou, os dois abandonaram a medicamentação.

O Amor é um grande remédio.

Acontece, porém que os familiares de ambos, opuseram-se ao namoro. Acabou o namoro e começou a degradação física de ambos. Voltaram aos medicamentos e vivem num estado de apatia total. Foram vencidos pela intolerância e pela incompreensão.

Um ser humano privado de afectos não vive, apenas existe. É o que, infelizmente, lhes aconteceu.

Arouca vive, como todo o País, o problema real do envelhecimento da população. Há 30/40 anos a pirâmide etária nacional caracterizava-se por ter uma base muito grande (apesar da elevada taxa de mortalidade infantil, as famílias tinham muitos filhos) e a pirâmide começava a estreitar-se muito a partir dos 50/60 anos (a esperança de vida era de 65 anos).

Presentemente, a base da pirâmide é muito mais estreita (a taxa de mortalidade infantil é muito reduzida e as famílias têm, em média, 1,4 filhos/casal). A pirâmide só começa a estreitar a partir dos 75 anos (os cuidados de saúde e a prevenção das doenças prolongam a vida dos idosos).

Podemos começar a falar que já estamos a ter uma quantidade apreciável de idosos na fase da " 4ª Idade ".

Esta circunstância positiva obriga a que se comece a pensar em novas soluções para que essas pessoas possam viver os seus últimos anos com dignidade e qualidade de vida.
Posted by Picasa

terça-feira, novembro 08, 2005

GESTO DE PAZ

Uma criança palestiniana, de 12 anos, foi morta a tiro, na semana passada, devido a um erro de avaliação do exército israelita.

Houve um tiroteio entre activistas da Jihad Islâmica e o exército israelita, na zona de Jenin, na Cisjordánia.

O jovem palestiniano Ahmad al-Khatib brincava com uma espingarda de plástico. Os soldados israelitas pensaram que se tratava duma arma verdadeira e atingiram o jovem na cabeça e no abdómen.

O jovem ainda foi transportado ao Hospital de Haifa, mas acabou por morrer.

A família da criança árabe decidiu doar os órgãos (pulmões, rins, fígado e coração) a quem deles precisasse. Crianças judias que aguardavam a doação de órgãos foram beneficiadas, bem como uma criança da minoria beduína árabe de Israel recebeu o coração.

Os pais árabes, quando doaram os órgãos de filho que adoravam, apenas quiseram que a morte inglória do filho pudesse dar melhor vida a outras crianças judias, árabes, muçulmanas ou cristãs.

Fizeram-no, apenas, com o propósito humanitário de acudir a quem precisava e para que a morte de quem tanto amavam não tivesse sido em vão. Ao terem este gesto expressaram o desejo de que a PAZ chegue a esta zona mártir e tão conturbada em que o ódio, a vingança e a intolerância fazem parte do comportamento do quotidiano.

São gestos como este que podem alertar as consciências para que a Palestina e Israel possam viver, lado a lado, respeitando-se e aceitando-se com as suas diferenças.

Oxalá que a morte de Ahmad al-Khatib não tenha sido em vão.

domingo, novembro 06, 2005

GUERRILHA URBANA EM FRANÇA

Todos nós assistimos incrédulos aos graves atentados patrimoniais, levados a efeito ao longo destes últimos 10 dias, em França, provocados por jovens emigrantes da 2ª geração, “guetizados” nas periferias das grandes cidades.

Mais de 3.000 viaturas incendiadas, milhares de caixotes de lixo queimados, centenas de autocarros destruídos, armazéns, lojas e centros comerciais incendiados e pilhados, carros de policia apedrejados, enfim uma onda de destruição de bens que conduzirá, forçosamente, a mais pobreza e menos empregos.

Estes acontecimentos trágicos não ocorreram de “geração espontânea”. São fruto duma deficiente politica de integração. Os ideais republicanos que a França legou ao Mundo LIBERDADE, IGUALDADE, FRATERNIDADE, falharam neste caso concreto. A maioria destes jovens já nasceram em França, mas sentem-se como estrangeiros e vivem em ZUS (zonas urbanas sensíveis), onde o desemprego atinge 20% da população, a pobreza 25% e um T3 serve para alojar 15/20 pessoas.

A morte de 2 jovens a fugir da policia, o lançamento duma bomba de gás lacrimogéneo sobre uma mesquita em Clichy-sous- Bois e as declarações infelizes do Ministro do Interior Nicolas Sarkozy foram o rastilho para esta grave situação. O Ministro do Interior ao apelidar estes grupos de “escumalha”, talvez não tenha estado longe da razão mas, em politica, é necessário saber medir o alcance das palavras que se proferem.

Agora a França debate-se com um problema que começou em Paris, mas que, entretanto, se estendeu a outras cidades – Lyon, Estrasburgo, Dijon, Toulouse, Pau, Rennes e a Marselha.

O Governo francês se quiser ganhar esta guerra, tem que perder uma batalha-o Ministro do Interior deve sair do Governo (o que significa perder uma oportunidade de se candidatar à Presidência da Republica em 2007).

O novo Ministro do Interior terá que agir com firmeza contra os jovens delinquentes, procurando conciliar diálogo e apelo à calma com a necessidade de manutenção da ordem.

O Governo francês deve dialogar com os representantes desses cidadãos nascidos em França para, em conjunto, diagnosticarem as causas deste grave problema, que passa com certeza pelos cortes brutais feitos nos investimentos para a integração e habitação social, falta de empregos, insucesso escolar etc.

Se este problema não for, rapidamente, resolvido em França, estou convencido que situações idênticas vão surgir na Alemanha, em breve. A Espanha (sobretudo o sul) também pode passar pela mesma situação. E nós, em Portugal, se não agirmos rapidamente para resolvermos o problema da “guetização” de muitas minorias étnicas, daqui a 5/10 anos vamos viver idênticos problemas.

O “ modelo social europeu” está a desagregar-se.

quinta-feira, novembro 03, 2005


Contra luz na Serra da Freita(Arouca) a 1.000 metros de altitude Posted by Picasa

CRIANÇA-BOMBA

Há dias, uma criança árabe, de apenas 12 anos de idade, transportando uma bomba artesanal à cintura, fez-se explodir em Kirkuk, a norte do Iraque, com vista a causar a morte ao chefe da polícia local, o General Khattab Abdallah Areb.

Da explosão resultou, apenas, a morte da criança-bomba.

Como é possível convencer uma criança a um gesto derradeiro e que representa a destruição definitiva do único valor que possui – a vida?

Como é possível intoxicar uma criança para ter uma atitude niilista como esta, quando ela devia era brincar, aprender, valorizar-se pela educação?

Segundo relatos que nos chegam, essas crianças são mentalizadas nas escolas corânicas para o sacrifício total em nome de Alá. São acompanhadas por mentores, sobretudo nas horas finais do sacrifício total, com a promessa de alcançarem o Paraíso.

Na minha maneira de pensar como ocidental, tal comportamento é moralmente detestável, humanamente intolerável e intelectualmente desprezível.

Como é que nós ocidentais vamos conviver com este fenómeno terrorista, cada vez mais globalizado?

Desde o século VII que o Islão combate os infiéis – cristãos e judeus. O islamismo tem funcionado, essencialmente, como cimento de identidade colectiva – é-se muçulmano, antes de se ser saudita, líbio, marroquino, egípcio, sudanês, paquistanês ou indonésio.

Da leitura do Corão, não se pode concluir, obrigatoriamente, a necessidade duma guerra santa. O Corão, na essência, faz a apologia da paz e do amor. Uma leitura de carácter mais belicoso, feita por fundamentalistas, é que tem conduzido a guerras, morticínios e atrocidades em nome de Deus. Temos que reconhecer que os cristãos também têm contribuído para agravar este estado de coisas, de que são exemplo as Cruzadas.

No momento actual, o Mundo está essencialmente, dividido em dois blocos teístas dum lado os cristãos e os judeus e do outro lado os muçulmanos.

Israel é, normalmente, apontado como causa, origem ou finalidade do “braseiro” ateado no Médio Oriente.Por outro lado, a guerra politicamente injustificada e socialmente iníqua provocada no Iraque, fez explodir a espiral de violência, à escala global.

Como ultrapassar esta situação?
- acabar com a ocupação do Iraque causa do aumento do sentimento anti-ocidental
- impor a paz no Médio Oriente, custe o que custar
- combater o neo-fundamentalismo gerado em algumas comunidades muçulmanas radicadas nas grandes cidades ocidentais
-ajudar a combater a miséria e a exclusão social nos Países Árabes
-não tentar impor as regras democráticas a povos em que a lei corânica rege o conjunto da vida civil, em que Deus (Alá) é a única autoridade legítima, é a única fonte da lei, em que Deus é o Legislador
- não tentar impor as regras da vida ocidental a povos com tradições ancestrais. Um estado islâmico não autoriza a venda de álcool, consumo de carne de porco, a prostituição, o adultério, o erotismo ou a homossexualidade.

Só estas medidas, na minha modesta opinião, podem não contribuir para erradicar o terrorismo, mas estou certo de que podem atenuar este clima de ódio existente.

Que Deus, Jeová ou Alá nos ajude a termos paz no Mundo.

terça-feira, novembro 01, 2005


Edifício dos Paços do Concelho de Arouca., onde a partir de agora vou desempenhar o cargo de Presidente da Assembleia Municipal Posted by Picasa