segunda-feira, dezembro 05, 2005

PROTOCOLO DE QUIOTO


No dia 30 de Novembro publiquei um post sobre o Protocolo de Quioto.

Referi no post o elevado custo que Portugal terá que suportar para comprar créditos de carbono a Países em vias de desenvolvimento e apontei a quantidade de CO2 que, por exemplo 3 unidades de produção energética lançam para a atmosfera em Portugal.

É forçoso reduzir a emissão de CO2.

A revista "ÚNICA" do jornal Expresso, publicada neste fim de semana, nas páginas 100 e 101 vem referir uma técnica que está a ser estudada pela C.Europeia, para reduzir a zero as emissões de CO2, sobretudo provenientes das centrais térmicas, lançando-o, por exemplo, no mar.Há ainda um outro problema que é isolar o azoto produzido nessas centrais.

Como não temos jazigos de carvão inactivos próximos dos locais de produção de CO2, teremos que o dispersar nas águas do mar, depois de liquefeito, através dum pipeline rebocado por um navio.

Que efeitos colaterais terão esses lançamentos na fauna marinha?

Tudo questões que nos devem fazer pensar!


3 Comments:

Blogger António said...

Vejo que te preocupas e estudas com cuidado os aspectos emergentes das emissões gasosas.
É um tema actual e de grande importância.

Mas o que me trouxe cá foi agradecer a tua visita ao meu circo.

Abraço

10:39 da tarde  
Blogger Armando S. Sousa said...

Não tenho conhecimentos científicos para avalizar se uma medida desta deve ou não ser tomada.
No entanto, "enriquecer" a água do mar com outros elementos terá certamente um custo elevado na fauna marinha.
Um abraço

7:10 da tarde  
Blogger mfc said...

E vão fazer isso sem estudos prévios?!

8:06 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home