sexta-feira, janeiro 13, 2006

Livraria Lello


Faz hoje 100 anos que foi inaugurada, na cidade do Porto, aquela que é “ a mais bonita livraria de Portugal” e acrescento eu, talvez do Mundo.

Foi no dia 13 de Janeiro de 1906 que foi aberto ao público, na Rua dos Carmelitas nº 144, na presença de muitos homens de Letras, por exemplo – Aurélio da Paz dos Reis, José Leite de Vasconcelos, Guerra Junqueiro, Afonso Costa e Abel Botelho, um espaço cultural e comercial, que se tornou num dos ex-libris da cidade do Porto.

O edifício foi desenhado pelo engenheiro Xavier Neves e tem uma fachada neogótica, com um arco abatido sobre a porta central. Sobre este arco abatido há uma janela tripla, fechada na platibanda e separada das pilastras, as quais são rematadas por corucheus.

Dos lados da janela tripla destacam-se 2 figuras da autoria de José Bielman, simbolizando uma a Arte e a outra a Ciência.

O que impressiona nesta livraria, para além dos mais de 60.000 livros, é o grande vitral e a luz coada que envolve os frequentadores, num clima de grande tranquilidade, como se estivéssemos num Templo.

Efectivamente, a Livraria Lello, para além de ser um dos ex-libris da cidade do Porto, é como disse Xavier Esteves um “ formoso templo ao divino culto da emoção e da ideia “.

Ir à cidade do Porto e não visitar este ícone cultural e turístico da cidade, é como ir a Roma e não ver o Papa.