sexta-feira, abril 07, 2006

TAXA DE ALCOOLÉMIA

No tempo do Governo Guterres foi imposto na condução automóvel uma taxa de alcoolémia de 0, 2gr/litro de sangue, valor a partir do qual a condução seria sancionada, conforme os casos, com multa, eventual privação de carta e até prisão.

Em 2002, o PSD apresentou uma proposta para que a taxa voltasse aos 0,5gr/litro.

Na altura foi publicado o cartoon que reproduzo acima, não me lembrando, neste momento, em que revista foi publicado.

A quando da votação o deputado do PS Ascenço Simões, quando o PS votou contra o regresso aos 0,5gr/litro, proferiu a seguinte declaração de voto “ a taxa de alcoolémia correcta num País como Portugal, com os hábitos alimentares existentes, deveria ser de 0,5gr/litro de sangue “

Quatro anos depois, o mesmo deputado, agora Secretário da Administração Interna, advoga a redução da taxa de alcoolemia para se reduzir a sinistralidade rodoviária e quer que os viticultores se responsabilizem pelas campanhas de sensibilização de redução do consumo de álcool, quando se conduzir.

O Alto-Comissário para a Saúde também é a favor da redução da taxa de álcool admitida para a condução, mas sensatamente, advoga que o ónus desta campanha não deve ser posta apenas numa só bebida (o vinho), mas em todas as bebidas alcoólicas.

As adegas cooperativas estão contra as posições agora assumidas pelo Secretário de Estado Ascenço Simões, pois dizem que não está certo que se culpem os viticultores portugueses pelas mortes registadas nas estradas, esquecendo as demais bebidas brancas – aguardente, brandy, whisky etc.

Todos reconhecemos que a taxa de alcoolémia contribui para a sinistralidade rodoviária, mas não podemos olvidar o excesso de velocidade, as ultrapassagens mal calculadas, o uso indevido do telemóvel e o desrespeito pela sinalização.

A DGV apresentou alguns dados reportados a anos anteriores, em que de 60.000 condutores submetidos ao teste do álcool, foram apurados os seguintes valores:
- 96% dos condutores apresentavam uma TAS inferior a 0,5gr/litro
-0,8% “ “ “ “ entre 0,5 e 0,8gr/litro
- 0,9% “ “ “ entre 0,8 e 1,2 gr/litro
- 2,3 % “ “ superior a 1,2 gr/litro

Os graus de alcoolémia atingidos pelas pessoas variam conforme o peso, a idade, os hábitos alimentares e o sexo. Podemos apontar, no entanto, para os seguintes valores médios:
- 2 copos de vinho equivalem a 0,2 a 0,3 gr/litro e começa a falhar a percepção da distância e da velocidade
- 4 copos de vinho equivalem a 0,3 a 0,5 gr/litro e diminui o campo visual
- 7 copos de vinho equivalem a 0,5 a 0,8 gr/litro conduzem a reflexos retardados, excesso de confiança e agressividade
- 10 copos de vinho equivalem a 0,8 a 1,5 gr/ litro – dificuldade em controlar o carro

O álcool concentrado no sangue é eliminado pelo fígado a uma média de 0,1 gr/litro por hora. Quer isto dizer que são precisas 3 horas para reduzir a taxa de alcoolémia de 0,5 gr/litro para 0,2 gr/litro.

Concordo que se baixe a taxa de alcoolémia para certas situações. Motoristas que transportam crianças, motoristas de transportes públicos, camionistas que transportam produtos petrolíferos, explosivos, tóxicos ou gases.

Concordo, também, que para condutores apanhados com excesso de álcool e que sejam reincidentes, devia ser caçada a carta por um período considerável de tempo e em casos mais graves a pena deveria ser de impossibilidade total de condução para toda a vida.

A “ guerra das estradas” parece ser uma guerra que ninguém quer ganhar.

1 Comments:

Blogger frank said...

Num país como este, a taxa deveria ser 0,0 para quem conduz.

Não sei pq existe gente "contra", até parece que isso vai alterar alguma coisa...

6:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home